Notícias
7° Congresso Nacional de Mulheres do Agronegócio, em São Paulo
31/10/2022 14h33
Compartilhe:  Compartilhar por WhatsApp   Compartilhar por Telegram

"O agro é mais forte com as produtoras dedicadas do nosso estado e do Brasil, que buscam o conhecimento e a tecnologia para suas propriedades rurais". A fala é do Presidente do Sistema FAET/Senar, Paulo Carneiro, na avaliação da importância da missão técnica ao 7° Congresso Nacional das Mulheres Produtoras do Agronegócio. Em parceria com o SEBRAE, a ação atende uma das prioridades do sistema: Manter as mulheres do campo qualificadas e atualizadas com as novidades do setor.

O congresso contou com dois dias de programação com diversos painéis, mesas redondas e debates com mulheres que fazem a diferença no agro. A agricultora, Maria Guanamar, foi uma das participantes que aproveitou cada momento do evento. Para ela, o congresso que é considerado o maior da america latina, mostrou a força e visibilidade das mulheres. "Lembrar sempre que mulher não é acessório, mulher é força em tudo que se propõe a fazer. Valeu cada instante".

Desafios no agro, mulheres na governança, sustentabilidade e o mundo da comunicação e tecnologia foram pautas importantes no evento. A presidente do Sindicato Rural de Almas, Sandra Carneiro, acrescentou que "os números demonstram que as mulheres estão em todas as áreas do agronegócio, seja em funções administrativas, técnicas ou que exijam força".

A caravana também visitou estandes no evento, que foram voltados para tecnologia serviços para a produção agropecuária, além de outros atrativos. Para a Superintendente do Senar, Rayleu Luzza, "as mulheres são altamente capacitadas no agronegócio e esse é um movimento essencial que amplia e reconhece a presença delas nesse setor que é importante para a economia".